Por que o Egito está pedindo que a população coma pés de galinha





Egito: nação mais populosa do mundo árabe está sofrendo uma crise cambial recorde e a pior inflação em cinco anos
Egito: nação mais populosa do mundo árabe está sofrendo uma crise cambial recorde e a pior inflação em cinco anos Foto: Pixabay

A situação econômica do Egito é tão terrível que o governo está pedindo às pessoas que comam pés de galinha.

A nação mais populosa do mundo árabe está sofrendo uma crise cambial recorde e a pior inflação em cinco anos, tornando os alimentos tão caros que muitos egípcios não podem mais comprar frango, um alimento básico.

Os preços das aves subiram de 30 libras egípcias (na época US$ 1,9) por quilo em 2021 para até 70 libras egípcias (US$ 2,36) na segunda-feira, segundo a mídia estatal.

O custo crescente levou a Instituição Nacional de Nutrição do país a pedir às pessoas que passem a comer pés de galinha.




“Você está procurando alternativas alimentares ricas em proteínas que economizarão seu orçamento?” perguntou em um post no Facebook no mês passado, listando uma série de itens começando com pés de galinha e cascos de gado.

Muitos egípcios estão furiosos com o fato de o governo pedir aos cidadãos que recorram a alimentos que são símbolos da pobreza extrema no país. No Egito, os pés de galinha são vistos como os itens de carne mais baratos, considerados pela maioria como resíduos de animais e não como alimentos.

“(Entramos) na era dos pés de galinha, do colapso da libra egípcia… e do afogamento em dívidas”, tuitou Mohamed Al-Hashimi, uma personalidade da mídia, para seus 400 mil seguidores.

Mas outros parecem estar atendendo ao chamado. Após a recomendação de mudar para pés de galinha, o preço de um quilo do produto teria dobrado para 20 libras egípcias (US$ 0,67).

As autoridades dizem que cerca de 30% da população do Egito está abaixo da linha da pobreza. O Banco Mundial em 2019, no entanto, estimou que “cerca de 60% da população do Egito é pobre ou vulnerável”.

Fonte: CNN